O que a Indústria 4.0 representa para o setor manufatureiro?

Hemant Javeri

Industrial Internet of Things

Os fabricantes tradicionais não podem mais adiar a transformação digital, pois estamos na era da Indústria 4.0 — a Quarta Revolução Industrial. Os dias de usar aplicativos comerciais prontos (COTS) para gerenciar operações, cadeias de suprimentos e ativos estão chegando ao fim.

As cadeias de suprimentos globais exigem dados avançados em tempo real para proporcionar visibilidade em todas as etapas, desde a gestão de estoque até a produção. Um exemplo recente foi visto durante a pandemia global, quando muitas montadoras de automóveis fecharam fábricas devido à escassez de microchips.

A tecnologia orientada por dados, como a Internet das Coisas Industrial (IIoT), pode criar uma fábrica inteligente para evitar a escassez de peças. Os fabricantes estão entrando na revolução da Indústria 4.0 para obter uma série vantagens, incluindo:

  • Alocação de recursos eficiente e econômica
  • Redução do tempo de inatividade pela utilização de monitoramento aprimorado por máquina
  • Capacidade de resposta em tempo real para personalização e demandas do cliente

O white paper “Introducing the new era of Industry 4.0,” traz uma visão geral de como a manufatura está mudando. Ele também fornece insights sobre a implementação da IIoT em escala e a importância de ter uma abordagem integrada abrangendo pessoas, processos e tecnologias.

Aqui estão quatro áreas centrais discutidas em nosso white paper de manufatura.

  1. Pilares operacionais necessários para transformação em Indústria 4.0
    Antes de embarcar na jornada de transformação, você precisa observar criteriosamente os fatores comerciais, as mudanças organizacionais e a transformação tecnológica. Analisando-se essas três áreas operacionais, é possível conceber uma infraestrutura de IIoT à prova de futuro, dotada de recursos como monitoramento contínuo de equipamentos no chão de fábrica e previsões de machine learning para os processos.
  2. Identificação de casos de uso para habilitar a Indústria 4.0
    Também é importante identificar casos de uso em todas as etapas na cadeia de valor, dos fornecedores aos clientes. Uma abordagem integrada implica priorizar casos de uso para criação de pilotos e planejar a implantação em todas as unidades fabris.
  3. A jornada para criar uma solução fabril conectada
    As duas etapas principais na construção de uma fábrica conectada envolvem, em primeiro lugar, decidir quais sensores e hardware serão usados para coletar os dados nas operações da planta. A segunda etapa envolve desenvolver, na nuvem, uma zona de aterrissagem segura que colete, analise e armazene os dados.
  4. Transições reais para fábricas inteligentes e como foram feitas
    As estratégias para um projeto de IoT bem-sucedido podem ser vistas em ação no estudo de caso da companhia de dispositivos médicos Cerapedics, durante sua transição para uma fábrica inteligente. O primeiro estágio do projeto envolveu construir uma solução de IoT, em prova de conceito, que conectava sensores analógicos e digitais, extraía os dados e enviava-os à nuvem da AWS para análise e exibição. Depois disso, definiu-se um modelo de dados ideal e criou-se um pipeline de ingestão, enriquecimento e armazenamento de dados, proporcionando análises históricas e em tempo real de forma escalável, econômica e resiliente a interrupções.

Para saber como você pode aproveitar a IIoT, a nuvem e os novos modelos operacionais para impulsionar sua jornada rumo a uma fábrica inteligente e conectada, baixe o white paper “Introducing the new era of Industry 4.0”.

Libere os dados do chão de fábrica e obtenha insights acionáveis com o Rackspace IIoT Smart Factory Accelerator