Inside the Innovator’s Mind: uma conversa com Inho Hwang

By Rackspace Technology Staff -

icon of human head with lightbulb icon inside

Nota do editor:

A tecnologia está evoluindo rapidamente, e você precisa acompanhá-la para ter êxito nesse setor. Mas como fazer para não ficar só acompanhando, e sim sobressair-se e inovar?

Descubra em nossa nova série, "Inside the Innovator’s Mind". Nela, vamos entrevistar alguns dos principais pensadores e realizadores técnicos da atualidade para saber onde eles encontram motivação, como se mantêm à frente da curva tecnológica e como abordam a solução de problemas — tudo sem perder de vista a inovação.

Nesta edição de Inside the Innovator’s Mind, entrevistamos Inho Hwang, arquiteto sênior de soluções da Rackspace Technology em Singapura. Continue lendo para saber o que o inspira a inovar e o que ele mais gosta no trabalho com os clientes.

 

Visão profissional

Como você encontra tempo para inovar?

Como arquiteto de soluções, muitas vezes recebo dos clientes pedidos que me incitam a ser inovador. Para mim, a inovação acontece quase espontaneamente, e praticamente tudo pode desencadeá-la. Por exemplo, ao conversar com um colega, posso ter uma ideia que se encaixe na solução que estou construindo ou mesmo pesquisando em casa durante meu tempo livre. Não tem hora marcada. Pelo contrário, acredito que a inovação vem naturalmente.

 

Como você acompanha as novas tecnologias?

Acompanhar as novas tecnologias é obrigatório para ser um arquiteto de soluções bem-sucedido. Como especialista, preciso ser capaz de orientar e aconselhar os clientes em múltiplas tecnologias. Leio e estudo sempre que tenho tempo livre, seja dentro ou fora do horário comercial.

No cenário dinâmico da TI atual, existe uma vastidão de campos tecnológicos a serem estudados e entendidos. Portanto, ouvir as necessidades dos clientes me ajuda a restringir e priorizar as tecnologias em que preciso me aprimorar. Minhas áreas de foco atuais incluem conteinerização e DevOps — que são prioridades para vários de meus clientes.

 

Quem ou o que o inspira?

Fazer meu trabalho me inspira! A satisfação que sinto ao arquitetar soluções ideais para os clientes, participar intimamente durante as implementações e ver minhas soluções funcionarem corretamente me enche de inspiração e motivação. Tenho oportunidade de observar e aprender muito com os membros internos e externos do projeto, com a troca de idéias sobre novas maneiras de fazer as coisas. E consigo obter perspectivas variadas de pessoas diferentes.

 

Qual é a sua abordagem para resolver grandes problemas?

Eu costumo procurar um lugar que me proporcione silêncio absoluto, geralmente a sala de estudos na minha casa. A tranquilidade do ambiente sem ruído facilita o raciocínio e a concentração no problema específico. Eu geralmente tenho vários cenários na cabeça, com diferentes soluções para resolver o problema, e o silêncio permite que eu pondere as variáveis e escolha a melhor solução possível.

 

Como você gerencia os fracassos?

Ninguém é perfeito, e todos nos deparamos com fracassos durante a vida. Erros e falhas proporcionam grande aprendizado, mas isso não significa que a pessoa pode correr riscos sem boa preparação prévia. Quando sinto confiança de que fiz o máximo para me preparar, avanço para a próxima etapa, ainda que haja risco de fracasso, pois sei que aprenderei algo com ele. E também compartilho a experiência como forma de instruir as outras pessoas da minha equipe.

 

Conhecendo você

O que você queria ser quando crescesse?

Eu era fascinado por hardware e software de computador desde jovem, então foi natural me formar em tecnologia da informação, na esperança de conseguir um emprego na área.

 

O que você faz agora?

Felizmente, trabalho na fronteira da tecnologia e sou capaz de fornecer soluções baseadas em uma ampla experiência acumulada a partir de várias empresas. Meu trabalho permite que eu continue aprendendo à medida que as novas tecnologias evoluem.

 

É isso que você imaginava?

Para falar a verdade, durante meus anos acadêmicos, achei que fosse me tornar desenvolvedor de software. Ultimamente, noto que há cada vez mais tecnologias e serviços baseados em tecnologia sem servidor, e vejo que o conhecimento em codificação está se tornando ainda mais valorizado. Cogito me aventurar novamente nessa área, que já faz parte da minha função atual.

 

Um dia na vida

Você tem uma rotina matinal no trabalho? Como é?

Eu não consigo começar o dia sem tomar uma xícara de café para ligar o motor. Depois, dou uma olhada nos e-mails para priorizar as tarefas do dia.

 

Que tipos de demanda você encontra?

Geralmente, as principais demandas são solicitações da equipe de vendas para que eu participe de reuniões com clientes. É durante essas reuniões que coleto requisitos e proponho soluções.

As outras demandas costumam ser de clientes atuais pedindo consulta técnica, principalmente quando estão com projetos novos para os quais precisam de orientação quanto às melhores soluções.

E, por fim, pode ser que eu precise responder a alguma solicitação de proposta, de cotação ou de informações enviada por clientes de grandes empresas.

 

Com quais funções/pessoas você mais interage? Qual a importância dessa interação?

Internamente, trabalho em estreita colaboração com vendedores, gerentes de contas e gerentes de operações para sanar dúvidas técnicas nas contas de clientes existentes. Também trabalho com parceiros como AWS, Azure e Google Cloud. Em específico, colaboro com vários departamentos deles, como infraestrutura, aplicativos, segurança, risco, conformidade e marketing, a fim de atender às suas necessidades individuais.  

 

Do que você gosta no trabalho com os clientes?

Gosto de entender às necessidades dos clientes em cada setor, de conhecer seus desafios e pontos problemáticos, e depois usar meu conhecimento para solucionar os entraves, bem como atenuar as dúvidas que possam ter.

 

Qual é a parte mais desafiadora do seu dia?

A parte mais desafiadora do meu dia é quando várias solicitações urgentes de proposta chegam ao mesmo tempo e eu preciso priorizá-las de imediato e concluí-las no prazo determinado.

 

Qual é o ponto alto do seu dia?

Para mim, o ponto alto do dia é quando sinto que proporcionei um momento "uau" aos clientes durante a interação inicial de pré-venda, deixando neles uma boa impressão e abrindo as portas para a próxima conversa.

 

Deixe que nossos inovadores coloquem a experiência deles para trabalhar a seu favorComece aqui