2020 Predictions Lee James
Article (leitura de 5 minutos)

O CTO da Rackspace para a EMEA, Lee James, fez uma previsão para a nuvem em 2020

O CTO da Rackspace, Lee James, prevê como as identidades nativas da nuvem mudarão, o caminho do Edge e da IoT e como a segurança se encaixa...

Lee James

O CTO da Rackspace para a EMEA, Lee James, fez uma previsão para a nuvem em 2020

Vimos uma enorme curva de maturidade na adoção da nuvem na Europa nos últimos anos. Embora as organizações estejam colhendo agora os benefícios da nuvem, há sem dúvida novos desafios que foram introduzidos no mercado. As novas partes interessadas estão tendo que desenvolver habilidades rapidamente e aprender sobre o potencial e os riscos; as práticas de trabalho estão tendo que evoluir para além dos níveis atuais de treinamento e muitos estão caminhando na corda bamba entre a propaganda exagerada e as oportunidades de inovação realmente tangíveis.

Em 2020, alguns desses desafios evoluirão. Veja aqui as cinco tendências da nuvem que, na minha previsão, afetarão as empresas no próximo ano.

Previsão 1: A nuvem híbrida torna-se, novamente, a nova multinuvem

Embora a popularidade da multinuvem seja indiscutível, com 81 por cento das empresas usando tecnologias de nuvem de alguma forma, muitas empresas estão ainda investindo em soluções de nuvem privada. Isso se deve a vários motivos, tais como a postura da segurança, o aluguel continuado de centrais de dados ou apenas porque é a melhor plataforma para os aplicativos e, em alguns casos, para o negócio. De fato, até mesmo o governo do Reino Unido pretende rever sua política de “nuvem primeiro” para “nuvem adequada” (ou algo semelhante) no início do próximo ano, reconhecendo que a nuvem pública não é adequada para todos ou para todos os usos.

Refletindo essa tendência, vimos os gigantes da nuvem responderem com soluções de nuvem privada diretamente ligadas às soluções de nuvem pública, como Azure Arc, Google Cloud Anthos e AWS Outposts.

Em 2020, haverá uma grande concorrência entre os três maiores redimensionadores da nuvem e a VMware, enquanto exploram e revelam como o Kubernetes destravará o potencial para ser o provedor de multinuvem híbrida de preferência dos clientes. Para os clientes, tudo se resumirá no que melhor se encaixar e funcionar e no que der a eles o melhor retorno financeiro. Isso nos prepara para um ano emocionante, que trará anúncios de novos produtos e serviços, enquanto as principais empresas de nuvem tentam se estabelecer como o agente de nuvem preferido dos clientes.

Previsão 2: As identidades nativas da nuvem mudarão

Nos últimos 12 a 18 meses, vimos um aumento na identidade nativa da nuvem. Talvez não seja surpreendente quando se observa o sucesso que as empresas nativas da nuvem conquistaram. A mentalidade da inovação, da colaboração e do crescimento por trás da natureza da nuvem permitiu algumas das experiências mais pioneiras dos clientes. O Spotify é o meu exemplo preferido, onde esquadrões separados trabalham juntos para oferecer componentes diferentes do aplicativo para dispositivos móveis que se integram perfeitamente, proporcionando ao usuário uma experiência simples e intuitiva.

No entanto, a nova identidade nativa da nuvem é muito diferente da abordagem tradicional de gestão de software. Para aproveitar esta tendência em 2020, é importante que os líderes comerciais e de TI eduquem suas equipes, visando o afastamento de um modelo pronto para uso e procurando estruturá-los em equipes de desenvolvimento menores para teste e construção. Precisamos garantir também que essa abordagem seja filtrada na educação tradicional: precisamos que a próxima geração desafie nossas formas de trabalho tradicionais, garantindo, ao mesmo tempo, a ênfase adequada na gestão da plataforma e na postura de segurança, para apoiar uma plataforma de sucesso. 

Previsão 3: O fortalecimento contínuo da Borda e da IoT

Em 2020, veremos implementações constantes do Edge e da Internet das Coisas (IoT) em vários setores da indústria.  Prevejo que verticais específicas vão liderar o caminho, como o Industrial Edge e o Retail Edge, como os principais setores de geração de adoção e valor.  Por exemplo, o 5G já está disponível em algumas cidades do Reino Unido e as redes 5G podem oferecer uma redução de até 90% no consumo de energia, garantindo até 10 anos de duração da bateria para dispositivos IoT de baixa energia. Isso significa, por exemplo, que mais varejistas terão acesso a prateleiras inteligentes, como as que a Amazon implementou em suas lojas Amazon Go. Essa tecnologia emprega dezenas de sensores para permitir a visibilidade do estoque em tempo real e atualizar os preços de acordo com a demanda. 

Estou ansioso também pelas conferências de 2020 em Londres com o 5G, onde espero ver um aumento muito grande nas demonstrações de realidade aumentada e virtual.  Essas experiências fazem uso intenso de muito poder de processamento e de dados celulares, mas com o aumento da capacidade das redes 5G, os varejistas poderão criar experiências mais ricas e detalhadas na integração de seus universos físico e digital. A colocação de produtos em tempo real por meio de aplicativos parece divertida, mas me lembro das cenas do filme O Quinto Elemento: estamos prontos para as experiências da hiper-realidade? Este vídeo incrível de Keiichi Matsuda, consultor de design, dá uma ideia de como o Edge e a IOT podem oferecer hiper-realidade em muitas experiências. Parece divertido, mas às vezes também avassalador.

Espero ver muitos experimentos e ver o GDPR, a gestão e a segurança dos dados desempenharem um papel de grande importância na tomada de decisões.

Previsão 4: A segurança continua sendo uma dificuldade

A rápida adoção da nuvem em diversas aplicações empresariais indica que uma empresa pode ter até 18 identidades diferentes interagindo, envolvendo e, muitas vezes, gerenciando os serviços de nuvem. Mas fica a pergunta: todos eles sabem como gerenciar os diversos riscos de segurança envolvidos?

À medida que mudamos ainda mais para uma abordagem de nuvem híbrida, na qual as cargas de trabalho são equilibradas entre várias plataformas de nuvem pública e ambientes internos, surge uma gama de novas considerações de segurança.

Agora, os responsáveis pela segurança devem garantir que as 18 identidades distintas entendam e atendam à segurança, além de garantir que ela seja sempre a questão padrão, independentemente do serviço ou da plataforma desenvolvida ou usada. Portanto, em 2020, será mais importante do que nunca que o CISO se torne o diretor executivo de segurança da informação do cliente e trabalhe em mais departamentos, para garantir que a segurança seja sempre a principal consideração e que a inovação nunca traga riscos indevidos para os negócios.

Previsão 5: A maturidade da nuvem mudará o mercado na década de 2020

O estado da nuvem mudou e tornou-se irreconhecível na última década. Analisando o passado, 2010 foi o ano em que a computação em nuvem passou do conceito à realidade. Dez anos à frente, as taxas de adoção são elevados e estão crescendo, com empresas transformando os processos e gerando um valor inimaginável de sua flexibilidade e redimensionamento.

Há dez anos, muitas empresas como a Airbnb, Fitbit, WhatsApp e Instagram não existiam. Veja como essas empresas melhoraram nossas vidas, e tudo isso em plataformas de nuvem, respondendo e reagindo às mudanças nas demandas da base de clientes.  À medida que mais dados são consumidos, analisados e usados, as plataformas de nuvem terão que crescer. Por exemplo, vimos o Microsoft Azure aumentar sua capacidade de computação em 1500% no Reino Unido desde 2016.  Isso terá que continuar para atender às novas demandas em constante crescimento.

Sobre o autor

Chief Technical Officer, EMEALee James As Chief Technology Officer for Rackspace EMEA, Lee James helps customers bring value to their business through the strategic development of Rackspace services. He has more than 20 years of experience leading large-scale, multinational, agile-based...

Leia mais