Cinco prioridades para manter sua organização de TI funcionando durante a COVID-19

By Matt Stoyka -

5 priorities - COVID-19

Qual é o seu novo normal? Os desafios imediatos e de longo prazo da crise da COVID-19 redefiniram o papel da TI nos negócios. Durante essa crise, os funcionários de tecnologia, sistemas e TI tiveram que se adaptar rapidamente à nova realidade das empresas. Mudanças na forma de trabalho e nas tecnologias usadas pelas pessoas, bem como a imprevisibilidade das condições comerciais ao redor do mundo, levaram a uma reorientação de prioridades e expectativas em relação aos departamentos de TI. Uma pesquisa da 451 Research ilustra o impacto que a crise vem tendo: 41% dos entrevistados afirmam que já enfrentam uma grande disrupção em suas empresas ou que esperam uma nos próximos dois meses.

Quando as prioridades mudam continuamente, os líderes de tecnologia têm dificuldade de saber onde focar primeiro. Muitos desafios relativos às capacidades de trabalho remoto surgiram de uma só vez, adicionando cargas pesadas aos recursos de sistema e ampliando as já enxutas equipes de TI. Ainda que seja difícil fazê-lo numa situação de crise, os líderes precisam priorizar para acelerar a transformação, e não apenas injetar dinheiro no problema atual. Essas prioridades devem focar o investimento em ferramentas, soluções e processos que funcionem no curto e no longo prazo.

Em conversas com clientes, compilamos cinco prioridades para que as organizações de TI consigam manter as equipes funcionando durante e após a crise da COVID-19.

Prioridade 1: ser proativo com a segurança

Os ataques de phishing relacionados ao coronavírus aumentaram 667% de fevereiro a março. Ter mais pessoas trabalhando e negociando remotamente aumenta os vetores de intrusão e oferece mais oportunidades de ataque. A possível adição de dispositivos BYOD e IoT aos recursos de hardware existentes torna ainda mais difícil para as empresas antecipar-se aos problemas de segurança cibernética. Dados e aplicativos antes protegidos por redes e processos estão agora dispersos, exigindo novas abordagens de proteção. Para muitos, adaptar-se a essa mudança significa migrar para a nuvem.

Embora a nuvem seja a opção ideal para lidar com condições imprevisíveis, geralmente as organizações não possuem o conhecimento necessário para migrar, gerenciar e otimizar ambientes em nuvem. Maior ainda é a escassez de profissionais de segurança qualificados para manter a conformidade e proteger contra ataques.

O que você precisa fazer agora:

  • Forneça acesso seguro aos funcionários remotos por meio de protocolo RDP (Remote Desktop Protocol), redes privadas virtuais (VPNs) e aplicativos baseados na nuvem
  • Instrua os funcionários sobre como proteger a si e a empresa contra agentes maliciosos e implemente políticas para ajudá-los, como:
    • Bloquear sites maliciosos
    • Alterar requisitos de senha
    • Considerar a autenticação multifatorial
  • Concentre-se em monitoramento, alertas e remediação de ameaças e violações antes que elas possam causar danos

Prioridade 2: gerenciar desempenho e custos

Infraestrutura sobrecarregada e demanda volátil podem piorar o desempenho de aplicativos e degradar a experiência do cliente. Para as empresas que estão na nuvem, os gastos podem sair do controle se não houver práticas apropriadas de governança e otimização de custos. Ao migrar para a nuvem, as empresas geralmente negligenciam a contenção de despesas diante da oscilação na demanda de recursos. Ignorar esse importante pilar estratégico pode custar caro.

É realmente difícil garantir que haja a infraestrutura necessária, quando necessário, e ainda ficar dentro do orçamento. Para combater os custos descontrolados na nuvem, é preciso combinar experiência e práticas recomendadas de governança e automação, de forma integrada. Em um recente estudo do IDC, 39% do entrevistados citou a falta de qualificação como um dos obstáculos que impedem a implementação das estratégias de nuvem. Além das competências técnicas, os profissionais de nuvem também precisam saber como equilibrar os custos com as necessidades de desempenho, segurança e escalabilidade. 

O que você precisa fazer agora:

  • Migre parte da sua infraestrutura para a nuvem, a fim de poder expandir ou reduzir conforme necessário, garantindo o desempenho do sistema
  • Avalie o uso atual dos seus sistemas, com foco nos objetivos, desafios e gastos da sua empresa
  • Identifique picos e vales de uso e ache maneiras de resolvê-los antes que afetem seus usuários ou seu orçamento

Prioridade 3: adaptar-se às novas formas de trabalhar

Quase da noite para o dia, muitas organizações tiveram que converter escritórios físicos em digitais para acomodar as diretrizes de distanciamento social. As equipes de TI tiveram que lidar rapidamente com sistemas antigos e processos desatualizados para colocar as soluções em funcionamento e evitar grandes perdas de produtividade. Essa conversão envolve selecionar, implementar e proteger as ferramentas certas para garantir que as soluções remotas suportem as cargas de trabalho de modo tão uniforme quanto as soluções usadas localmente. Para as empresas que não tinham uma estratégia remota em vigor, essa mudança tem sido particularmente difícil.

E não há fim à vista. Na pesquisa instantânea "Voice of the Enterprise Digital Pulse" da 451 Research, 38% dos entrevistados acreditam que trabalhar em casa se tornará duradouro ou permanente. Em vez de procurar soluções de curto prazo, agora é hora de todas as organizações desenvolverem uma estratégia de trabalho remoto abrangente e suficientemente flexível para lidar com as situações de crise e as necessidades diárias de produtividade.

O que você precisa fazer agora:

  • Preserve a produtividade dos funcionários, pois mesmo um breve lapso na carga de trabalho pode significar milhares de dólares em oportunidades perdidas
  • Alinhe sistemas e processos para oferecer uma experiência perfeita ao cliente e manter a confiança dele
  • Mantenha a simplicidade. Não tente migrar toda a sua empresa para novos aplicativos ou sistemas; em vez disso, permita que os colaboradores trabalhem da maneira mais parecida com a de antes.

Prioridade 4: manter seus clientes satisfeitos

As imposições de ficar em casa, o fechamento de escolas e o trabalho remoto fizeram com que muitas atividades se deslocassem para a internet. Como consequência, o desempenho dos aplicativos fica prejudicado, e isso afeta diretamente a experiência do cliente. No mundo digital, o desempenho pode viabilizar ou destruir o seu negócio. A Akamai relata que um atraso de 100 milissegundos no carregamento do site pode reduzir as taxas de conversão em 7%, e um atraso de dois segundos no carregamento da página aumenta as taxas de rejeição em 103%. Mas as preocupações de desempenho não estão relacionadas apenas à sua presença digital.

A transição para o trabalho remoto também pode causar demora na prestação de serviços, à medida que a TI e os funcionários se ajustam ao uso de novas ferramentas em novas redes para fornecer os níveis de serviço que os clientes esperam. Essa é a hora de você se destacar, pois manter ou superar as expectativas de experiência do cliente durante esse período aumenta a confiança dele em suas habilidades, ajudando a evitar o boca a boca ruim que sistemas ou processos deficientes poderiam acarretar.  

O que você precisa fazer agora:

  • Avalie como os aplicativos atuais estão sendo usados
  • Meça o desempenho para entender as causas dos atrasos, de modo a conseguir resolver melhor os problemas subjacentes
  • Confirme se os funcionários remotos conseguem acessar e utilizar os aplicativos que sustentam o atendimento ao cliente e as exigências de suporte

Prioridade 5: proteger seus data centers

Manter o data center funcionando é crucial. Mas a crise atual complica as coisas, pois é imperativo proteger a saúde dos funcionários enquanto se conservam as operações do data center. Restrições de viagem, trabalho em casa e ordens de reclusão tornam difícil, se não impossível, que os trabalhadores viajem para locais físicos para fazer a manutenção dos data centers. Além disso, muitas equipes de data center já estão sobrecarregadas tentando viabilizar o acesso remoto e o tráfego adicional, o que lhes dá menos tempo para cuidar da manutenção.

O que você precisa fazer agora:

  • Considere uma conexão remota com o seu data center para permitir que outros recursos gerenciem seus sistemas
  • Crie uma política que permita à sua equipe de data center executar, com segurança, a manutenção obrigatória para evitar tempo de inatividade
  • Revise seus planos de recuperação de desastre para confirmar que, se houver uma interrupção no data center, você ainda poderá operar

Acima de tudo, não entre em pânico. O segredo para superar essa crise é manter a calma e focar as prioridades. Em vez de resolver o problema com tecnologia, resolva-o com uma estratégia. Se você for proativo e tiver em mente uma estratégia de longo prazo, poderá sair desta crise com uma infraestrutura mais forte, melhor desempenho e maior flexibilidade.

Por ora, no entanto, as coisas estão fora da normalidade. Mas focar essas prioridades pode manter sua empresa funcionando durante os períodos de incerteza e torná-la ainda mais forte nos dias melhores que estão por vir. A Rackspace está sempre aqui para ajudar você a acessar a experiência, a tecnologia e a escala de que precisa.

Estamos juntos nessa, conte conosco. Saiba mais